Imagem para ilustrar o tema do artigo.

URA ativa e URA receptiva: entenda as diferenças

As modalidades de URA ativa e receptiva se encaixam entre as principais inovações tecnológicas para atendimento. Isso porque as necessidades do cliente devem ser colocadas em primeiro lugar, principalmente quando se fala em um período atípico para se destacar no mercado.

Essa ferramenta vai além do que muitos conhecem e, com a tecnologia, tem hoje amplas possibilidades. Mais do que criar menus e transferir ligações, a URA receptiva e a ativa conseguem replicar atendimentos humanos com eficiência. Isso sem deixar de lado o DNA da marca e a unicidade que cada empresa tem a oferecer em todas as plataformas para uma experiência do cliente incomparável.

Aproveite a leitura e tire todas as suas dúvidas!

O que é URA?

A URA compreende a Unidade de Resposta Audível, ou seja, um conjunto de recursos com funcionamento a partir da voz. Para isso, ela utiliza o entendimento das teclas digitadas e das respostas verbalizadas para conduzir o atendimento que, muitas vezes, não precisa de intervenção humana.

Nos casos em que apenas a tecnologia resolve a demanda, pode-se imaginar menus, opções para escolher e mesmo uma resposta verbal. Assim, atualmente, a URA é capaz de fazer perguntas e interpretar respostas, além de acessar informações do cliente. Ela otimiza o atendimento, tornando-o mais funcional e dinâmico.

Entre os tipos disponíveis dessa ferramenta, estão a URA ativa e a receptiva, com características únicas. A melhor escolha, portanto, depende do tipo de empreendimento e do retorno desejado. Afinal, a forma adequada de abordar o consumidor não é absoluta. Confira, a seguir, as particularidades desses recursos e saiba qual deles é o mais indicado para a sua empresa.

URA ativa x URA receptiva

Quais são as principais diferenças entre esses dois tipos de URA? Vale lembrar que companhias que exploram as vantagens de cada solução contratada têm mais condições de oferecer um atendimento descomplicado e inovador. De redução de custos a eficiência, os benefícios são muitos.

URA ativa

A funcionalidade ativa corresponde ao sistema no qual a empresa entra em contato com os clientes. Na prática, essa URA tem tecnologia suficiente para, usando um discador, iniciar uma chamada. Esse meio é ideal para oferecer promoções e ofertas personalizadas, ou mesmo quitar débitos.

Para colocar essa função em prática, a URA faz uso das informações e do histórico registrado. Logo, as demandas são conduzidas de forma individualizada e eficiente. A humanização, aqui, pode ser trabalhada em detalhes simples, mas significativos.

O horário ideal para ligar, o tempo médio das chamadas e a abordagem são aspectos que importam, já que é a organização quem inicia o contato. O DNA da marca, citado no início do artigo, se dá pela escolha da voz da URA, bem como sua linguagem.

URA receptiva

A função receptiva, por sua vez, compreende a interação iniciada pelo cliente. Assim, a empresa recebe a chamada, e o consumidor interage com um menu, onde são dispostas as opções de atendimento. O reconhecimento de teclas é parte desse processo, ou mesmo o entendimento de escolhas verbais.

Um diferencial dessa dinâmica é o aproveitamento do tempo de espera. Portanto, essa URA pode captar informações para agilizar o atendimento, além de orientar o usuário a respeito do que ele precisa ter em mãos. É um sistema amplamente utilizado no SAC, pois pode conduzir as chamadas ao ramal correto.

A escolha por parte da companhia deve considerar fatores singulares, como o perfil do público, a identidade da marca e o tipo de atendimento pretendido. Independentemente da solução adotada, é primordial respeitar esses aspectos e aproveitar o melhor que cada URA pode oferecer.

A busca por um atendimento cada vez mais eficiente

A URA ativa opera com base na iniciativa de contato, isto é, o funcionamento desse modelo se dá quando o sistema liga para o usuário. Aqui, podem ser feitas cobranças ou ofertas, por exemplo, a partir da captação de informações pessoais.

A URA receptiva, por outro lado, apenas recebe chamadas e pode redirecioná-las pelo menu, ou mesmo fornecer todo o atendimento quando o cliente precisa de determinadas informações.

O fundamental é compreender o valor dessa solução, que entende teclas, voz e consegue interagir. Além das funcionalidades da URA receptiva e ativa, ideais para diferentes tipos de negócio, a inovação permite um atendimento ainda mais centrado no cliente.Confira nosso conteúdo exclusivo sobre as características da URA cognitiva e descubra como ela impacta a relação com os consumidores. Reinvente suas interações!

Leave a Reply

Your email address will not be published.Required fields are marked *